Doce lembrança

Eu me lembro do primeiro livro que ela me emprestou. Os catadores de conchas, de Rosamunde Pilcher. O nome da autora jamais passaria despercebido para mim depois desse gesto. E o livro, em si… li três vezes.

Foi como adentrar o mundo adulto estando na adolescência. Eu não entendi tudo, mas o coração compreendeu boa parte do enredo. Após aquela leitura compartilhada, parece que nossos corações se uniram com força ainda maior.

Um pedaço do universo dela se tornava meu a partir daquele instante. E eu nunca mais me desconectei.

2 comentários em “Doce lembrança”

Os comentários estão fechados.