Sobre morrer e renascer…

Neste ano que está quase terminando, eu conheci o melhor e o pior de mim.

Adquiri consciência sobre minhas forças e fraquezas. Entendi que há ciclos que começam e terminam aqui dentro, o tempo todo.

Em 2018, eu morri para renascer melhor. Ressuscitei vontades. Meus desejos mais íntimos. Reencontrei minha criança interior abandonada… e lhe ofereci colo.

Acalentei minha alma com força. Precisei ir fundo para não desistir. E cheguei… até aqui.

Não faço ideia do que os próximos meses me reservam — ninguém faz. Não tenho noção do dia seguinte, mas de uma coisa eu sei: quero esperar por ele.

Foi um ano desafiador, no extremo sentido da palavra. Em cada um de seus instantes, eu compreendi que a vida é sagrada… e é JÁ.