Novas impressões…

Os dias seguem e alguns cenários deixam de pertencer ao cotidiano… reclamar seria empáfia de minha parte: apenas agradeço.

A bem da verdade, concluo: são ideias e contextos que nunca foram meus, em essência.

Troquei o chá de hibiscos — que eu nem apreciava tanto assim — pelo pingado com leite, genuíno… brasileiro.

Percorrer calçadas, agora, apenas com fones de ouvido… e a passos rápidos, da maneira como sempre gostei de caminhar.

Abdiquei de ser o outro para me tornar eu mesma — é uma frase conhecida, eu sei… Mas, neste momento, é tão minha que não recordo a autoria.

Resgato, aos poucos, a identidade que nunca queria ter perdido. Até mesmo o café no copo de papel — enfeitado de sereias — deixou de me encantar: tenho minhas canecas prediletas, uso e abuso desse deleite…

Torno-me, em todo pequeno instante, próxima das minhas próprias impressões… e espero nunca mais querer me perder de mim.