Dezembro

E, num piscar de olhos, já é dezembro…

O prometido não se cumpriu — por outro lado, portas se abriram rumo ao inesperado.

Eu já deveria ter me acostumado com o fato de que promessas não se cumprem. Nem deveriam ser feitas.

Melhor lidar com a surpresa. Com o desafio agregado, munido de lições e alegrias sinceras.

Nem tudo é festa, mas o sorriso ainda se mantém como o nosso maior trunfo.

Dezembro é fim… e também perspectiva de começo. Análise. Reflexão para amenizar o que poderia ser mais leve.

Dezembro é prosa e poesia.

É sobre estar junto ao outro, mas sobretudo estar consigo.